POR:

Ana Carolina Bueno

Redação 360on

COMPARTILHE

Programa de Residência Pedagógica

Após período de seleção, acadêmicos de Pedagogia iniciam atividades e organizam como o projeto será executado nos próximos meses

20 de agosto de 2020

COMPARTILHE

POR:

Ana Carolina Bueno

Redação 360on

O colegiado do curso de Pedagogia do Centro Universitário Univel, organizou no início deste ano, um projeto relacionado a alfabetização e letramento, que é uma das áreas prioritárias da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) em relação às atividades desenvolvidas no Programa Institucional de Residência Pedagógica. Este programa é do Governo Federal, que por meio da Capes, organizam pesquisas e atividades em que o aluno será orientado junto a professores das instituições de ensino públicas e privadas, a partir deste ano e passarão por uma imersão de atividades junto às escolas públicas, da educação básica.

 

O projeto desenvolvido tem o intuito de trabalhar práticas e fundamentação teórica em relação aos métodos de alfabetização e também, a organização destas atividades ao longo do primeiro ao terceiro ano na rede pública municipal de ensino de Cascavel. Além disso, terão ferramentas e dados para fazer um comparativo em relação a quais são os componentes curriculares e de que forma é feito este trabalho. “Então, nosso aluno além das discussões teóricas, farão a parte prática nas unidades escolares, a fim de acompanhar e auxiliar o professor em sala de aula”, destaca a coordenadora do curso de Pedagogia, Gislaine Buraki de Andrade.

Alunas que foram selecionadas para o Programa de Residência Pedagógica

O projeto elaborado pela Univel, foi selecionado entre uma das 250 instituições inscritas pelo Brasil, no qual, serão 24 alunos bolsistas e seis voluntários, que participarão das atividades durante os 18 meses propostos. Esse período será dividido em três módulos, de seis meses cada, nos quais serão divididos entre teoria, produção de materiais didáticos, além de acompanhamento presencial nas duas escolas municipais selecionadas. A coordenadora Gislaine Buraki explica que cada módulo consiste em 138 horas, de atividades teóricas e práticas, relacionados ao tema de alfabetização e letramento. O acompanhamento será feito, além da coordenadora Gislaine, também pelas professoras Thais Damaris Thomazini e Sueli Gedoz.

 

As atividades começaram de forma remota e neste sábado (08), foi realizado o primeiro encontro online, com os acadêmicos e professores preceptores, para dialogar as ações que serão desenvolvidas, bem como, a aprovação do cronograma. Nesta semana, já serão discutidos aspectos teóricos e na sequência irão conversar sobre as atividades remotas, além de como pensar a alfabetização e letramento em razão desta pandemia do Covid-19. “Após esse processo, nós vamos estudar os métodos e metodologias da área de alfabetização e letramento e quando as instituições de ensino retornarem, nós iremos até elas, no caso, as escolas serão: Escola Municipal Professora Dulce Andrade Siqueira Cunha – Caic 1 (Jardim Clarito) e a Escola Municipal Professora Dilair Silvério Fogaça (Bairro Faculdade) ”, explica Gislaine Buraki.

Alunas e professoras se reúnem de forma online para definições de cronograma e aperfeiçoamento

E AÍ, GOSTOU DO CONTEÚDO
OU TEM ALGUMA SUGESTÃO?

Entre em contato: [email protected]